Quarta-Feira, 24 de Outubro de 2018

Dados mostram que o WhatsApp foi principal meio para propagar fake news e mentiras




COMPARTILHE

Em março deste ano, juízes da propaganda eleitoral de todo país se reuniram em Cuiabá para discutir a regulação das mídias sociais na campanha. O debate estava alinhado com o que defendia o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luiz Fux, que prometeu “guerra às fake news”.

Sete meses depois, o resultado não saiu exatamente como esperado. Os boatos e notícias falsas se proliferaram na internet e encontraram em um aplicativo de mensagens o seu principal habitat. Foi no WhatsApp, que as fake news tiveram maior vazão. 

Em Mato Grosso, este cenário ficou especialmente visível com a circulação de vídeos apócrifos contra os mais diversos candidatos. Desesperados, eles recorreram à Justiça Eleitoral, o que colocou o Estado na 6ª colocação entre os estados brasileiros com o maior número de processos para remoção de conteúdo, segundo dados da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji).   

Diretor-geral do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT), Nilson Bezerra diz que o trabalho feito pelo órgão foi independente do realizado pelo TSE. Ele admite que a proliferação de mentiras já era esperada. “É claro que algumas coisas que acontecem, a gente demora para dar um retorno. O controle no WhatsApp é mais complexo. É mais difícil de rastrear porque as mensagens são criptografadas”, lembrou ao ressaltar que, na maioria das vezes, quem espalha os boatos e ataques contra adversários usa números telefônicos de outros estados.   

“A gente já esperava isso, o seminário em março foi feito para isso. A gente sabia que, em virtude de mais brasileiros nestas eleições terem acesso à internet, naturalmente, as redes sociais teriam o papel essencial. Por exemplo, o candidato [a presidente] que lidera as pesquisas não tem tempo de TV, nem dinheiro”, cita.


Autor:Redação AMZ Noticias


COMENTÁRIOS:

Notice: Undefined index: envio in /home/norteara/public_html/noticia.php on line 201
O Norte Araguaia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Norte Araguaia Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito ao Norte Araguaia


Notice: Undefined variable: rsDestaque1 in /home/norteara/public_html/noticia.php on line 325

Warning: mysql_free_result() expects parameter 1 to be resource, null given in /home/norteara/public_html/noticia.php on line 325

Notice: Undefined variable: rsDestaque2 in /home/norteara/public_html/noticia.php on line 327

Warning: mysql_free_result() expects parameter 1 to be resource, null given in /home/norteara/public_html/noticia.php on line 327

Notice: Undefined variable: rsUltimas1 in /home/norteara/public_html/noticia.php on line 329

Warning: mysql_free_result() expects parameter 1 to be resource, null given in /home/norteara/public_html/noticia.php on line 329

Notice: Undefined variable: rsUltimas2 in /home/norteara/public_html/noticia.php on line 331

Warning: mysql_free_result() expects parameter 1 to be resource, null given in /home/norteara/public_html/noticia.php on line 331