Segunda-Feira, 16 de Dezembro de 2019

Mato Grosso lidera ranking de transmissão de surtos ou epidemias de Chikungunya




COMPARTILHE

Nota informativa emitida pela Superintendência de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado de Saúde (SES/MT), alerta os municípios mato-grossenses para o risco de ocorrerem surtos ou epidemia de doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti como Dengue, Zika e Chikungunya.

De acordo com a nota, todo o estado de Mato Grosso é endêmico para estas doenças e vários são os fatores que contribuem para isso, dentre eles estão fatores sociais e ambientais, além de ser um estado com extensas localizações geográficas e diferentes tipos de bioma.

“Alertamos para a necessidade de se intensificar a vigilância das doenças transmitidas por Aedes, considerando não somente a possibilidade de surtos e epidemias nos municípios do estado, mas também pelo significativo número de óbitos por complicações dessas arboviroses confirmadas por laboratórios no Estado durante anos anteriores. ” Informou a coordenadora de Vigilância Epidemiológica, Alessandra Moraes.

Mato Grosso lidera a lista de alto risco de transmissão de Febre Chikungunya no país, segundo dados divulgados no último boletim epidemiológico do Ministério da Saúde. De janeiro a junho do ano de 2018, foram registrados 380 casos novos da doença para cada 100 mil habitantes e no mesmo período de 2017, foram apenas 83 casos notificados a cada 100 mil habitantes em todo o estado.

Os dados também apontam que o município de Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá, é o que tem apresentado o maior número de notificações da Febre Chikungunya, do início do ano até agora, período em que foram registrados mais de 10 mil casos somente em Várzea Grande.

A SES/MT destaca a importância do envolvimento do Poder Público nos três níveis de governo e demais segmentos da sociedade organizada, por meio de ações articuladas para combate do vetor da Dengue, Zika e Chikungunya e solicita aos gestores e profissionais de vigilância em saúde, da atenção primária, unidades de urgência e emergência e demais profissionais de saúde a atenção especial às estratégias.

Entre elas, intensificar as ações de prevenção em parceria com os agentes de combates de endemias e agentes comunitários de saúde de forma articulada e de acordo com o cenário de risco e de transmissão apresentado.

Envolver a equipe de comunicação e mobilização social, trabalhando em parceria com a Vigilância em Saúde, através da divulgação da situação também de forma estratificada, buscando a participação da população em ações educativas para eliminação mecânica de criadouros existentes nos domicílios.

“Todos os municípios devem dimensionar a rede de saúde para atender aos pacientes com Dengue, Zika e Chikungunya nos três níveis de complexidade, que são o primário, secundário e terciário, incluindo o fluxo para realização dos exames laboratoriais”, alerta a representante da SES/MT.


Autor: AMZ Noticias com Diário de Cuiabá


Comentários
O Norte Araguaia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Norte Araguaia Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito ao Norte Araguaia