Segunda-Feira, 14 de Outubro de 2019

Dados do IBGE mostram que nascimentos crescem menos de 1% ao ano em Mato Grosso




COMPARTILHE

Mato Grosso está entre os estados brasileiros que apresentaram um dos menores índices de nascimento entre 2016 e 2017, ano em que o Estado ganhou 52.552 bebês. No período, os registros de nascimento cresceram apenas 0,8%, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados no último dia 31 de outubro.

O estudo “Registro Civil 2017” reúne dados sobre o número de brasileiros nascidos vivos, de casamentos, óbitos e óbitos fetais remetidos anualmente ao IBGE por cartórios de registro civil e pelas varas de família, foros, varas cíveis e tabelionatos de notas de todo o país.

Do total de nascimentos ocorridos no Estado, 12.896 foram no chamado “Vale do Rio Cuiabá”, que além da capital, reúne outras cidades, como Várzea Grande, Chapada dos Guimarães, Nossa Senhora do Livramento e Santo Antônio de Leverger. Os dados mostram ainda a ocorrência de 434 óbitos fetais no Estado, no mesmo ano.

No país, em 2017 foram registrados 2,87 milhões de nascimentos, o que representa um crescimento de 2,6% frente a 2016. Os registros efetuados em anos posteriores ao do nascimento eram 2,7% do total, em 2017, contra 3,5% em 2016. Também cresceu o percentual de filhos de mães com mais de 30 anos de idade: na faixa de 30 a 39 anos, a taxa foi de 23,4% para 32,2% e na faixa dos 40 anos ou mais de idade, de 2,2% para 2,9%.

Entre as unidades da federação, somente o Rio Grande do Sul apresentou redução no número de nascimentos registrados no ano passado em relação a 2016 (-0,4%). Entre os demais estados, os que apresentaram os menores crescimentos foram estão o Pará (0,4%), Ceará (0,5%) e o Amapá (0,6%). Já os maiores crescimentos foram observados em: Sergipe (5,1%), Rondônia e Rio de Janeiro (5,8%), Espírito Santo (5,9%), Acre e Mato Grosso do Sul (6,3%) e Tocantins (9%).

Ainda em nível nacional, o número de casamentos registrados caiu 2,3% em relação a 2016, apesar do aumento de 10% nas uniões homoafetivas, que representam 0,5% do total de registros. Em Mato Grosso, 17.544 casais selaram a união. Contudo, 4.216 se divorciaram ou encerram o casamento. Deste total, 2.873 de forma consensual e, outros, 1.335 não-consensual.

No país, os divórcios aumentaram 8,3% frente a 2016, com uma taxa geral de 2,48 para cada mil pessoas com 20 anos ou mais de idade no país. A maior proporção dos divórcios se deu entre famílias constituídas somente com filhos menores de idade (45,8%), conforme o IBGE.

ÓBITOS - Entre 2007 e 2017, analisando-se os registros de óbitos violentos em homens de 15 a 24 anos de idade por unidade da federação, houve aumentos em 17 das 27 unidades da federação. Neste caso, o destaque fica para o Ceará (144,1%), Sergipe (134,7%), Bahia (128,5%), Acre (121,8%), Tocantins (114,7%), Rio Grande do Norte (113,1%) e Piauí (111,8%).

Por outro lado, houve quedas em outras unidades da federal. Entre elas, está Mato Grosso com -3,3% de queda. No Estado, houve 17. 185 óbitos, entre os quais 10.842 homens e 6.343 mulheres.

As mais reduções significativas foram no Paraná (-43,2%), Distrito Federal (-35%), São Paulo (-30,9%), Espírito Santo (-25,9%), Mato Grosso do Sul (-23,5%), Rio de Janeiro (-20,9%) e Rondônia (-19,3%). 


Autor: AMZ Noticias com Diário de Cuiabá


Comentários
O Norte Araguaia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Norte Araguaia Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito ao Norte Araguaia