Terca-Feira, 26 de Maio de 2020

Sistema de transporte coletivo de Cuiabá está ultrapassado e com estrutura de 20 anos atrás




COMPARTILHE

Alvo de diversas críticas dos usuários, o atual sistema de transporte coletivo funciona há 20 anos em Cuiabá. Para avançar, a prefeitura pretende publicar, em 30 dias, o edital de licitação para a contratação de empresas que passarão a explorar o serviço na cidade uma vez que os contratos em vigor vencem em junho próximo.

Apesar do prazo apertado, o secretário municipal de Mobilidade Urbana (Semob), Antenor Figueiredo, acredita que será possível fazer a concorrência pública dentro do período previsto.

“Acredito que dá tempo sim. Nós estamos um bom tempo construindo essa licitação e a concessão para o transporte coletivo é diferente (por exemplo) da contratação de uma construtora (para obras). São poucas empresas de transporte coletivo no Brasil. Neste caso, uma das preocupações é com a possibilidade da licitação dar deserta, assim como ocorreu em Tangará da Serra ou em Rondônia”, disse. “Mas, acredito que pela construção do edital, não teremos problema nenhum. Caso ocorra, vamos ter que postergar (a concorrência)”, disse.

A licitação também é necessária que o setor possa receber novos investimentos, consequentemente, atender melhor os usuários, que contam com um serviço que vem sendo prestado há duas décadas. “Hoje, não temos mais como trabalhar com esse sistema que está aí. Cuiabá cresceu muito e não dá para ficar fazendo remendos para atender bairros novos”, afirmou.

Pelo projeto elaborado, uma das idéias é de que o serviço passe a contar com a plataforma de transbordo. “Num primeiro momento parece complicado. A pessoa vai dizer que vai pegar dois ônibus, mas é esse sistema que funciona nas cidades em que o transporte coletivo é dado como ótimo, como é o caso de Curitiba (PR) e Goiânia (GO)”, exemplificou.

Para isso, está prevista a instalação de estações na Avenida do CPA, Fernando Correa e nos CPAS I e III. Além disso, o sistema proposto se adapta a qualquer outro modal que venha a ser implantado na capital, a exemplo do veiculo leve sobre trilhos (VLT), que está com obras paradas, ou mesmo o corredor para ônibus rápido, o chamado BRT. “É um sistema bastante flexível”, frisou.

Por meio de nota, a prefeitura informou que ainda para que o processo licitatório ocorra com a máxima qualidade, trazendo eficiência ao serviço, é preciso que se realize todas etapas dentro do que determina as normas de concessão. “Hoje, a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana está na etapa de finalização de montagem do processo para posterior publicação do edital. Essas etapas, em sua maioria, são extensas e englobam estudos econômicos, redimensionamento das frotas, Pesquisa Origem Destino (POD) - que há anos não era feita dentro do município e necessita de, pelo menos, quatro meses para ser finalizada\", informou.

Outro ponto que redirecionou a data da licitação foi quanto os dois embargos do Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE/MT) suspendendo a audiência pública que visava debater sobre o tema. O órgão alegou que o chamamento precisava de um espaço de tempo maior entre a publicação e a realização. "O município atendeu as orientações do TCE e fez nova publicação, promovendo a audiência em 28 de dezembro de 2018, quase um mês da data prevista no cronograma".

Conforme a prefeitura, após realização da audiência, a equipe da Semob acolheu os questionamentos, tanto dos vereadores como da população e para atender alguns foi preciso redirecionar alguns pontos do projeto. A concessão será por 20 anos. Inicialmente, o setor deverá receber investimentos de R$ 110 milhões.

A Semob, segundo a prefeitura, finaliza a montagem do processo para posterior publicação do edital. A previsão é de que em 30 dias a abertura do certame seja publicada no Diário Oficial de Contas. "Reitera que esse processo é um dos compromissos da gestão atual, que vem trabalhando nesses dois anos na modernização do transporte público da Capital ", reforçou. Atualmente, três empresas operam no sistema e o contrato vence em junho próximo.


Autor: AMZ Noticias com Diário de Cuiabá


Comentários
O Norte Araguaia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Norte Araguaia e um meio de comunicacao de propriedade da AMZ Ltda.
Para reproduzir as materias e necessario apenas dar credito a Central AMZ de Noticias