Terca-Feira, 20 de Agosto de 2019

No Dia Mundial da Água, governo do Tocantins expande Projeto Barraginhas para a região centro-sul




COMPARTILHE

No momento em que se comemora o Dia Mundial da Água, 22 de março, o governo do Tocantins destaca projetos e ações desenvolvidos visando a preservação e o uso adequado dos seus recursos hídricos.

Para minimizar os efeitos causados pelas mudanças climáticas, que contribuem na estiagem prolongada da região sudeste, uma das que mais sofrem com a carência de água do estado, a gestão desenvolveu o Projeto Barraginhas.

Com o sucesso da ação, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) iniciou uma nova etapa, em 2018, na região centro-sul do estado, com a construção de 3.200 pequenas bacias nas propriedades rurais de 17 municípios, um investimento de R$ 3 milhões. Cada município deve receber 200 barraginhas e o primeiro deles foi Brejinho de Nazaré, onde o trabalho já foi concluído.

O projeto atende os parâmetros da Agenda de Desenvolvimento Sustentável Pós-2015, agora chamada Agenda 2030, que engloba um conjunto de programas, ações e diretrizes que orientarão os trabalhos das Nações Unidas e de seus países membros rumo ao desenvolvimento sustentável. A etapa anterior do Barraginhas atendeu 17 municípios situados em uma zona do semiárido, onde chove apenas 400 milímetros por ano, beneficiando 103 mil habitantes e cobrindo uma área de 39.536 km².

Na ação foram construídas 3.564 barragens (bacias de infiltração da água da chuva), na zona rural dos municípios, para conter as enxurradas, erosões e assoreamento dos corpos d’água, bem como recarregar o lençol freático e, a médio e longo prazo, perenizar os pequenos rios e ribeirões das sub-bacias da região.

Preservação e recuperação - No que se refere à preservação e recuperação, a Semarh executa o Projeto Olhos D’Água que prevê a recuperação de 200 nascentes (aproximadamente 160 ha) em quatro bacias hidrográficas: Ribeirão Taquarussu; Rio Lontra; Rio Manuel Alves da Natividade; e Rio Formoso - sendo 50 nascentes por bacia. A regeneração será feita via replantio de espécies nativas adaptadas às condições regionais e/ou outras técnicas de reflorestamento.

A Secretaria também dá suporte aos Comitês de Bacia Hidrográfica (CBHs) em atuação no estado. Os comitês são órgãos colegiados com atribuições normativas, deliberativas e consultivas a serem exercidas na bacia hidrográfica de sua abrangência. São compostos por representantes do poder público, sociedade civil organizada e usuários da água.

Atualmente, existem cinco CBHs instalados no Tocantins: Comitê de Bacia Hidrográfica do Lago de Palmas; Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Formoso; Comitê da Bacia Hidrográfica dos Rios Lontra e Corda; Comitê da Bacia Hidrográfica Manuel Alves da Natividade e Comitê da Bacia Hidrográfica dos Rios Santo Antônio e Santa Tereza. Um sexto colegiado está em processo de criação e contempla a região sudeste na Bacia do Rio Palma.

A água é uma só - O tema “A água é uma só” foi escolhido pela Organização das Nações Unidas (ONU) para a comemoração do Dia Mundial da Água este ano e adotado pela Agência Nacional de Águas (ANA).

No Tocantins, as campanhas e as atividades de educação ambiental desenvolvidas pelo Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) vão abordar, durante a semana em que se comemora o Dia Mundial da Água, a importância da proteção dos mananciais e da coibição de crimes ambientais nos cursos d'água e respectivas matas ciliares. 

"Todo ano, as equipes do Naturatins reforçam o intercâmbio de conhecimento e a abordagem das recomendações sobre o tema água, na semana de celebração. São orientações oferecidas durante atividades de rotina como blitz educativa ou rodas de conversa que acontecem durante a recepção dos visitantes nas unidades de conservação de responsabilidade do Instituto", destacou o presidente do Naturatins, Marcelo Falcão.

O gestor complementou que as equipes locais do Instituto também se dispõem a atender convites de órgãos parceiros para realização de palestras e atividades de educação ambiental nas escolas de comunidades urbanas, rurais e indígenas, para falar sobre as áreas de preservação e proteção ambiental, além de contar com o apoio da divulgação realizada pelos meios de comunicação.


Autor: AMZ Noticias com Assessoria


Comentários
O Norte Araguaia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Norte Araguaia Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito ao Norte Araguaia