Quarta-Feira, 13 de Novembro de 2019

Estado de Mato Grosso investe R$ 4,8 milhões no sistema de abastecimento de água




COMPARTILHE

A equipe técnica de engenheiros da Secretaria de Infraestrutura e Logística de Mato Grosso (Sinfra), por meio da Secretaria Adjunta de Cidades (Sacid), realizou nesta semana vistorias em comunidades rurais de Cáceres que receberão o "Sistema Simplificado de Abastecimento de Água" (SSAA), criado para garantir água potável de qualidade a pequenas comunidades com menos de 50 mil pessoas.

Serão investidos R$ 4,8 milhões na perfuração de poços revestidos com 150 metros de profundide, instalação de clorador, barrilete, reservatório metálico de 20 mil litros de água e seis pontos de distribuição para a comunidade. Devem ser atendidas aproximadamente 15 mil pessoas após a entrega de 38 sistema de abastecimento em uma área cercada e iluminada de 7,5m por 10m.

Com esses novos sistemas, centenas de agricultores familiares serão beneficiados com a utilização para consumo próprio e uso para agricultura e pecuária, atividades predominantes na região oeste de Mato Grosso. Em Cáceres, as comunidades beneficiadas são a Vila Garcez, Nova Era e Peraputanga.

Segundo o secretário adjunto de Cidades, Wener Santos, os três sistemas previstos para o município de Cáceres já estão 97% concluídos. “Entregas como essa são essenciais para a manutenção das famílias rurais que carecem do apoio do poder público por conta da escassez de água em diversas regiões de Mato Grosso”, avaliou ele.

Conforme previsto em contrato, após a conclusão da obra, Estado fará um termo de cessão à Prefeitura Municipal de Cáceres para que o município faça a gestão e manutenção dessa centrais.

Simples e eficaz - O Sistema Simplificado de Abastecimento de Água trata-se de uma pequena central de captação, tratamento e fornecimento de água, voltada a atender localidades rurais que não estão interligadas nas redes de abastecimento dos municípios. Nesse processo, a água é retirada de um manancial subterrâneo como, por exemplo, um poço. Posteriormente passa por tratamento, por meio de cloração, e ao final é levada à população meio de torneiras (bicas). Os moradores têm a opção ainda de implantar uma rede de abastecimento da Central até a sua propriedade. Neste caso, o custo é de responsabilidade do proprietário.

 


Autor: AMZ Noticias com Henrique Pimenta


Comentários
O Norte Araguaia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Norte Araguaia Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito ao Norte Araguaia