Quarta-Feira, 13 de Novembro de 2019

Produção de algodão se torna realidade e fortalece a base da economia de Canarana




COMPARTILHE

A Fazenda Cocal, pertencente ao Grupo Bom Futuro, não é somente uma das maiores produtoras de grãos de Canarana. Além dos 25 mil hectares de soja e 9 mil hectares de milho, o grupo plantou neste ciclo 11 mil hectares de algodão e há algum tempo investe também pesado em piscicultura, onde tem mais de 100 hectares de tanques.

Os vereadores Rafael Govari e Ederson Porsch (Soni), estiveram neste mês de abril na fazenda onde foram verificar como está o andamento da plantação de algodão, cultura que está iniciando no município, mas que promete trazer uma nova onda de desenvolvimento. Eles foram recepcionados pelo gerente, Sergio David.

David mostrou a algodoeira que está sendo erguida na sede da fazenda. As instalações e os maquinários estão quase prontos. A produção será processada ali mesmo. A capacidade das máquinas é para atender a produção interna, que deve chegar a 15 mil hectares nos próximos ciclos, mas poderá também prestar serviço para outros produtores.

Conforme Sergio, o desenvolvimento das lavouras está muito bom. A expectativa da fazenda é colher até 300@ por hectare, produção parecida com os números registrados em outras regiões do Mato Grosso onde o Grupo planta algodão, como em Campo Verde. As lavouras foram semeadas entre fim de dezembro e 10 de janeiro, com previsão de colheita para junho.

Atualmente a Fazenda Cocal possui pouco mais de 250 funcionários, mas com a algodoeira em funcionamento, esse número deve crescer consideravelmente. Uma algodoeira agrega mais de 100 funcionários no pico dos trabalhos. Para se ter uma ideia, somente a Fazenda Cocal possui quase a mesma quantidade de funcionários que tinha o frigorífico de Canarana quando este ainda funcionava.

Além da Fazenda Cocal, outros produtores já estão plantando algodão em Canarana, em menor escala. Rodrigo Piccinini, da Meta Consultoria Agrícola, plantou 30 hectares neste ano e pretende plantar 300 no próximo ano. Ele também está trabalhando para montar uma algodoeira no município para atender a demanda dos produtores em áreas menores.

Com a demonstração de que o algodão dá certo em Canarana, uma cadeia começa a se formar, com experimentos, consultorias, financiamentos, algodoeiras e colheitadeiras. A tendência é que a área plantada cresça consideravelmente na próxima safra e que a cultura do algodão traga empregos, renda e desenvolvimento.

Piscicultura - Mas quem pensa que o Grupo Bom Futuro é apenas grão e algodão, se engana. Na Fazenda Cocal também há 106 hectares de tanques que produzem 1,5 mil toneladas de peixes por ano, das espécies tambaqui, tambatinga, pintado e outros, levados diretamente para Brasília, gerando um valor de produção de quase 10 milhões de reais por ano. Somente a piscicultura emprega 25 pessoas. Conforme Sergio David, o Grupo tem planos para construir mais 200 hectares de tanques nos próximos anos.


Autor: AMZ Noticias com Assessoria


Comentários
O Norte Araguaia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Norte Araguaia Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito ao Norte Araguaia