Terca-Feira, 20 de Agosto de 2019

Ibama flagra extração ilegal de madeira em terra indígena do Norte Araguaia e 12 são presos




COMPARTILHE

O flagrante de uma extração ilegal de madeira na terra indígena (TI) Urubu Branco, que fica no município de Confresa (1.180 quilômetros, ao Nordeste de Cuiabá), resultou na prisão de 12 pessoas que trabalhavam na área.

A ação, que envolveu fiscais de diferentes órgãos, ocorreu na sexta-feira (3), mas foi divulgada ontem (6). A operação foi feita em conjunto entre policiais militares, agentes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), servidores da prefeitura e Fundação Nacional do Índio (Funai).

Na área, os policiais e os agentes flagraram caminhões, tratores, toras e lascas de madeira da espécie roxinho extraídas ilegalmente. Conforme previsto em lei, as equipes destruíram os acampamentos e conduziram as 12 pessoas para a delegacia da Polícia Civil em Confresa. Os presos responderão por formação de quadrilha, acesso indevido a terra indígena e furto de madeira em área federal.

Já um suspeito que coordenava a extração fugiu ao ver a chegada dos policiais e agentes. Também foram apreendidos dois tratores e uma retroescavadeira.  Trazidos de Minas Gerais (MG) para a exploração de madeiras, os trabalhadores estariam em condições análogas à escravidão ou consideradas subumanas. O caso será investigado pela Polícia Federal, já que o crime ocorreu em terras da União.  A TI Urubu Branco, com área de 167.533,3271 hectares, abrange os municípios de Santa Terezinha, Confresa e Porto Alegre do Norte, e foi reconhecida como território de ocupação tradicional do povo Tapirapé por meio da Portaria nº 599, de 02/10/1996, do ministro da Justiça. 

A demarcação da terra indígena foi homologada por decreto presidencial, publicado no Diário Oficial da União de 08 de setembro de 1998. Já em setembro de 2017, pela segunda vez, a Justiça Federal em Mato Grosso reconheceu a TI como de ocupação tradicional do povo Tapirapé. Além disso, determinou que os não-indígenas se retirem imediatamente da área. 


Autor: Redação AMZ Noticias


Comentários
O Norte Araguaia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Norte Araguaia Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito ao Norte Araguaia