Segunda-Feira, 26 de Agosto de 2019

Surpreendente e quente, Marabá é uma das melhores opções de turismo no verão paraense




COMPARTILHE

Banhada pelas águas dos rios Tocantins e Itacaiúnas, Marabá encanta pela beleza das praias no verão amazônico, pela culinária típica paraense e também pelo calor que acolhe os visitantes e moradores. No mês das férias escolares, um dos lugares mais visitados é a praia do Tucunaré, que fica bem em frente à cidade e só existe nessa época do ano, sem falar da charmosa orla da Velha Marabá, uma boa pedida para um passeio no fim da tarde.

O mês de julho é o conhecido “Verão Amazônico” e, através do projeto “Minha Praia”, que divulga os principais balneários do estado. Neste ano, cinco reportagens vão mostrar alguns dos destinos mais procurados pelos veranistas que buscam lazer, diversão e cultura, mas também a tranquilidade bucólica das ilhas que ficam próximas de Belém.

A cidade fica localizada na região sudeste do Pará. Saindo de Belém pela PA-150, são cerca de 580 km de distância pela estrada até o destino. Viajando de ônibus, são cerca de 10 horas a passagem de Belém para Marabá custa R$ 110. Há também a opção de fazer a viagem de avião, em que o tempo de viagem é de menos de uma hora.

O nome da cidade, fundada em 1913, tem origem indígena e significa filho do prisioneiro ou estrangeiro, ou ainda o filho da índia com o branco. Atualmente, a população marabaense está em torno de 199.946 habitantes, segundo dados do IBGE, e a estimativa é de crescimento, pois a cidade está em processo de desenvolvimento acelerado e recebe muitas pessoas vindas de outras cidades e estados.

Calor acolhe visitantes - “É uma cidade que a gente nem imagina, cheia de belezas! Tem a praia do Sossego, a praia do Tucunaré, zoológico, praças, pesque e pague dos restaurantes onde você pode pescar o tambaqui e pede pra assar na hora”, conta o jornalista e culinarista funcional Cleverson Amaro, que mora em Marabá há 3 anos.

No início de julho, ele e o marido receberam a visita da amiga paulista Daiana Calil, que foi a Marabá fazer um curso de pães e bolos sem glúten, sem lactose e sem açúcar, com o culinarista. Além das lições sobre comidas funcionais, Daiana ficou encantada com o que viu, sentiu e comeu.

“Uma experiência inesquecível! Conheci várias pessoas na cidade, achei as pessoas simpáticas. Ainda tem o fator da natureza, pra gente que mora em cidade grande, respirar ar puro. Em São Paulo está na época de frio, fui aí com um calor enorme, gosto de calor! Tem a orla, que achei muito gostosa pra passear a noite. Comprei chás e várias coisas exclusivas daí, sem falar das castanhas. Como eu trabalho na área ada culinária, me surpreendi com a riqueza de produtos”, afirma Daiana Calil.

A turista passou três dias em Marabá, conhecendo tudo de melhor que a cidade tem a oferecer. “Fui fazer um passeio fantástico na praia de Tucunaré, passei uma tarde gostosa na água calminha, quentinha, com meus amigos, batendo papo, fiz o passeio de barco, vi o pôr do sol. Foi uma alegria pra mim a viagem de Marabá. É uma cidade pouco conhecida na minha opinião, tem potencial pra turismo se a cidade investisse melhor em mostrar pro Brasil o que tem de melhor aí”, disse ainda Daiana.

A Praia do Tucunaré, que encantou a turista, é um lugar especial, as faixas de areia só aparecem quando o rio Tocantins seca. Logo após o período das chuvas, a praia ocupa uma extensão de aproximadamente 5 km², sendo que três quartos são de areia fina e um quarto de formação vegetal, segundo a Prefeitura de Marabá.

Na praia, os veranistas praticam esportes náuticos, camping, pesca esportiva. Várias barracas são montadas no espaço, oferecendo bebidas e comidas aos visitantes. Outra praia que só aparece no verão é a Praia do Geladinho, localizada no bairro São Félix.. De lá, é possível ver a ponte rodoferroviária sobre o Rio Tocantins, construída pela Vale, para escoamento do minério extraído da Serra dos Carajás.

O anfitrião Cleverson conta que Daiana ficou surpresa porque a a cidade tem de tudo: shopping, supermercados, não tem muito trânsito, o que permite qualidade de vida. Mas, o que mais surpreendeu a paulistana foi a culinária.

Um dos pratos que ela experimentou e gostou e justamente um dos mais famosos da cidade: Tambaqui ou Tucunaré, peixes da região, assado e recheado com farofa de camarão. O prato com Tucunaré (sem espinhas) custa R$ 100 e serve três pessoas; já o Tambaqui recheado com farofa sai por R$ 70.

Pontos turísticos - Além das praias, Marabá tem uma veia cultural forte. Na cidade, as praças são ponto de encontro e diversão. As mais frequentadas são a Praça do Pescador, Praça Osório Pinheiro e Praça à beira do Rio Tocantins, que tem diversos bares.

Também vale conhecer o patrimônio histórico da cidade, como a Igreja de São Félix de Valois, que foi a primeira capela construída em Marabá, como pagamento de uma promessa feita à Virgem de Nazaré, na década de 20. É o primeiro patrimônio histórico do município, tombado a 05 de abril de 1993. Outro prédio de destaque é o Palacete Augusto Dias, sede do Poder Legislativo, construído na década de 30.

A cidade abriga ainda o zoológico, a biblioteca municipal, onde acontecem diversas atividades, e o Museu da Fundação Casa Cultura de Marabá, que reúne antropologia, arqueologia, geologia e outros setores importantes da história do município.

No Verão Amazônico, o agito é por conta da Exposição Agropecuária de Marabá, a Expoama, que chega a 33ª edição em 2019. A programação, que conta com atrações nacionais como Matheus e Kauan, ocorre de 6 a 14 de julho e atrai visitantes de outros municípios. No site da Prefeitura de Marabá, é possível encontrar dicas de onde se hospedar na cidade.

Marabá é surpreendente e uma das melhores opções durante o verão paraense. Seja em relação à natureza, culinária ou diversão, a cidade é amada por seus moradores e querida por quem a visita.


Autor: AMZ Noticias com G1


Comentários
O Norte Araguaia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Norte Araguaia Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito ao Norte Araguaia