Quarta-Feira, 21 de Agosto de 2019

Reunião entre deputados e governador termina sem proposta para a greve na educação




COMPARTILHE

A reunião entre o governador Mauro Mendes (DEM) e 10 deputados estaduais, na noite de quinta-feira (25), para tentar construir uma proposta para por fim a greve da educação, que já dura 61 dias, terminou sem nenhuma proposta objetiva.

A reunião ocorreu logo após a sessão extraordinária de quinta-feira (25), quando a deputada Janaina Riva (MDB) e os deputados Lúdio Cabral (PT), Max Russi (PSB), João Batista (Pros), Thiago Silva (MDB), Elizeu Nascimento (DC), Wilson Santos (PSDB), Dilmar Dal Bosco (DEM), delegado Claudinei (PSL) e Faissal Calil (PV), foram ao Palácio Paiaguás, onde ouviram a mesma resposta do governador.

De acordo com Lúdio, Mendes mais uma vez fez a exposição dos motivos para não dar o aumento. "Eu interrompi a reunião e deixei bem claro que ele não consegue nos convencer, e nós não nos convenceremos. Portanto, tem proposta objetiva pra educação? Porque é isso que vai fazer acabar com a greve", disse o parlamentar logo após deixar a reunião.

"Apresentamos uma série de alternativas objetivas pra ele e vamos aguardar agora que o governador, o seu secretariado, tenha sensibilidade e juízo e apresente uma proposta, mesmo que seja de atendimento parcial, parcelado, mas que traga números e datas para ser levado aos profissionais da educação, para o sindicato e Assembleia, para a greve se encerre", completou.

A expectativa é que o governo apresente alguma proposta na segunda-feira (29), já que existe uma agenda com a deputada federal Rosa Neide (PT), para tratar da greve da Educação juntamente com Mauro Mendes, o chefe da Casa Civil Mauro Carvalho e o secretário de Fazenda, Rogério Gallo. "A ideia é mobilizar os deputados estaduais para participar desta reunião", revelou o petista. Para ele, se o governador apresentar uma proposta ainda nesta sexta (26), faria com que a greve se encerrasse na segunda. 

"Eu disse que se ele apresentar [uma proposta] até amanhã (sexta), dá tempo do Sintep convocar uma reunião da sua diretoria e uma Assembleia Extraordinária na segunda. Se houver uma proposta objetiva e favorável, tem uma grande chance da greve se encerrar na segunda. Mas se não tiver, infelizmente a greve vai perdurar por mais uma semana no mínimo".

Os profissionais da educação cobram contrapropostas do governo do Estado que promovam o avanço na negociação e também o cumprimento da Lei 510/2013, além do pagamento dos restos a pagar da RGA de 2018, para assegurar Lei da Dobra do Poder de Compra dos profissionais da Educação. Também são reivindicações da categoria melhorias na infraestrutura das escolas e nomeação de concursados.


Autor: Redação AMZ Noticias


Comentários
O Norte Araguaia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Norte Araguaia Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito ao Norte Araguaia