Terca-Feira, 17 de Setembro de 2019

Levantamento confirma que Mato Grosso tem a gasolina mais cara de toda região Centro-Oeste




COMPARTILHE

Um levantamento realizado pela ValeCard, empresa especializada em soluções de gestão de frotas, de janeiro a junho de 2019, apontou que Mato Grosso teve a gasolina com o preço mais alto entre os estados da região Centro-Oeste – em média, o litro foi vendido a R$ 4,706 no período. Os dados foram obtidos por meio do registro das transações realizadas com o cartão de abastecimento da própria empresa em cerca de 20 mil estabelecimentos credenciados por todo o Brasil.  

Em Mato Grosso, a pesquisa registrou, em janeiro, a média de R$ 4,657. No mês de maio teve uma leve alta e o litro foi vendido a R$ 4,776. Já em junho a gasolina teve o valor reduzido para R$ 4,706. Os consumidores mato-grossenses, já acostumados com a variação de preços e buscam se adaptar aos altos e baixos do mercado.   

Para o taxista Lindomar Araújo, 45, que atua em Cuiabá e região, a saída é abastecer com etanol. “A diferença de valor entre a gasolina e o etanol não compensa. O álcool chega a fazer uma média de consumo de seis quilômetros por litro contra nove na gasolina. Portanto, para mim não é viável. O preço é bem pesado para nós que dependemos desse insumo para trabalhar. O ganho do trabalhador cai muito”.

Há 20 anos trabalhando como moto-fretista, Márcio da Silva, 41, roda com sua motocicleta cerca de mil quilômetros por semana e reclama dos altos custos. “Há algumas encontrei gasolina por R$ 3,95 a R$ 3,97. Agora já ultrapassou os R$ 4,40 por litro. Com isso, o custo da prestação de serviço de transporte eleva e a renda cai”, destaca.  

Para ele que não sistema flex em sua moto, a saída é pesquisar. “Mesmo assim, o álcool também teve uma alta grande, nos últimos meses encontrávamos o litro abaixo de R$ 2. Agora, já ultrapassou R$ 2,49. Pesa só para o lado dos mais fracos”, lamenta o autônomo, que também precisa arcar com os custos de manutenção do veículo.    

De passagem por Cuiabá, o engenheiro Rogério Penteado, 49, também dá preferência pelo etanol quando está na cidade. A gasolina é a opção para rodar nas estradas e rodovias, já que ele mora em Araguarças, em Goiás – estado que figurou o terceiro lugar no ranking, com o litro comercializado, em média, a R$ 4,644 em junho.  

Viajando constantemente a trabalho por Mato Grosso, o engenheiro ressalta que percebe a diferença de valores entre os estados. “Como estou em viagem, hoje, abasteci com gasolina. Mas, geralmente, fico no etanol -  que apresenta custo benefício melhor, ainda mais em época da safra, quando o custo de produção da cana-de-açúcar diminui, refletindo no preço final combustível.”   

Ele afirma ainda que o combustível faz parte do orçamento familiar e é preciso ficar atento. “É um item importante, além do preço por litro, temos que nos atentarmos para a qualidade, procedência e confiança nos postos. Eu trabalho com projeto de licenciamento, é sei da importância de pesquisar para não ter danos no veículo.” Ainda da região Centro-Oeste, Mato Grosso do Sul está em segundo lugar com o valor mais alto - R$ 4,674 e o Distrito Federal tem a gasolina com o preço médio mais baixo - R$ 4,393.  


Autor: AMZ Noticias com Gazeta Digital


Comentários
O Norte Araguaia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Norte Araguaia Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito ao Norte Araguaia