Quarta-Feira, 13 de Novembro de 2019

Palmas alcança 100 dias sem chuvas; estiagem e altas temperaturas devem continuar




COMPARTILHE

Palmas alcançou neste domingo (1º) a marca de 100 dias sem chuvas. A última precipitação registrada na capital ocorreu no dia 24 de maio, quando foram registrados 24 milímetros de água. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a previsão para os próximos dias segue sendo de muito sol e temperaturas na casa 38 ºC.

De acordo com o professor José Luiz Cabral, do Núcleo de Meteorologia da Universidade Estadual do Tocantins (Unitins), o período chuvoso no Tocantins historicamente só começa a partir da segunda quinzena do mês de outubro. Apesar disso, não é improvável que pancadas de chuva possam aparecer para amenizar o calor.

"Nós estamos com a tendência que esse período chuvoso seja de normalidade climática em termos pluviométricos e só deva se iniciar da segunda quinzena, mas podem ocorrer chuvas antes desse período, que são aquelas chuvas folclóricas que a gente tem acompanhado em outras cidades."

Em 2018, o período chuvoso terminou mais cedo, em abril, e Palmas atingiu a marca de 100 dias sem chuva no mês de agosto. A transição para o período chuvoso também começou mais cedo, com as primeiras pancadas começando em setembro. O meteorologista Luiz Cabral explica como funciona o sistema que pode propiciar as conhecidas chuvas do caju e do pequi.

"O período é de estiagem, mas a massa de ar quente e seca fica modulando a nossa secura. Quando o sistema estiver forte bloqueia a entrada de umidade, mas na hora que enfraquece possibilita a entrada da umidade. Essa umidade associada ao forte calor e as altas temperaturas produze a possibilidade de pancadas de chuva", explicou.

Cuidados - A orientação para a população durante o período de altas temperaturas e tempo seco é de evitar atividades ao ar livre nos horários mais quentes do dia, entre 11h e 15h. Assim como beber muita água para se manter hidratado e usar protetor solar. Além dos problemas respiratórios sentidos pela população nessa época, o clima quente e seco contribui para o aumento das queimadas. Até agora, mais de 6,4 mil focos de queimada foram registrados no estado.


Autor: AMZ Noticias com G1


Comentários
O Norte Araguaia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Norte Araguaia Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito ao Norte Araguaia