Sábado, 19 de Outubro de 2019

Ex-governador Marcelo Miranda é preso acusado de desviar mais de R$ 300 milhões




COMPARTILHE

A Polícia Federal prendeu nesta quinta-feira (26) o ex-governador de Tocantins Marcelo Miranda. Ele foi preso no apartamento funcional de sua mulher, a deputada Dulce Miranda (MDB-TO), que não é investigada no caso.

O ex-governador é investigado por corrupção, peculato, fraudes em licitações, desvios de recursos públicos, recebimento de vantagens indevidas, falsificação de documentos e lavagem de dinheiro.

A PF estima que o esquema atribuído a Miranda tenha causado prejuízos de mais de R$ 300 milhões aos cofres públicos. Na operação batizada como "12º Trabalho", a PF cumpre 11 mandados de busca e apreensão e três de prisão preventiva. Também são alvos dos mandados de prisão o pai do ex-governador, José Edmar Miranda, e um irmão, José Edmar Miranda Junior.

A investigação tem como base várias operações, como a Reis do Gado, a Marcapasso, a Pontes de Papel, a Convergência e a Lava Jato. Marcelo foi cassado pela última vez em março do ano passado. Cinco meses depois, ele foi condenado a 13 anos e 9 meses de prisão por peculato e fraude à licitação pela contratação de uma entidade para gerir os hospitais estaduais em 2003 e 2004, durante sua gestão.

Segundo a PF, os investigados continuam a usar laranjas para dissimular a origem ilícita de bens móveis e imóveis, frutos de propina. De acordo com a acusação, o grupo movimentava recursos originários de corrupção no comércio de gado, empresas de fachada, construção e venda de imóveis mesmo após as investigações terem se tornado públicas.

O nome da operação faz referência a um dos trabalhos de Hércules, personagem da mitologia grega. O 12º trabalho é considerado o mais complexo desafio, que consiste na captura de Cérbero, um cão de três cabeças que, segundo a mitologia, guardaria a entrada para o mundo dos mortos.


Autor: Redação AMZ Noticias


Comentários
O Norte Araguaia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Norte Araguaia Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito ao Norte Araguaia