Terca-Feira, 04 de Agosto de 2020

Mulheres se destacam a frente de ações e gestão do agronegócio em Mato Grosso




COMPARTILHE

Elas se destacam em vários setores e, em Mato Grosso, estado do agronegócio, tem aumentado o número de produtores e criadores do sexo feminino. Uma pesquisa da Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio mostrou que em 2013, elas eram 13% no setor, cresceram para 31% em 2017 e não param de aumentar a participação nesse mercado concorrido.

Nascida e criada em fazendas, Maria Ester Tiziane Fava, ou melhor, Téia Fava, como ela é mais conhecida, teve a vida inteira marcada pelo agro. Filha de produtores rurais no Paraná, ela está em Mato Grosso há 27 anos e se destacou nacionalmente por uma iniciativa sustentável em sua fazenda.

Há 14 anos ela toca sozinha a fazenda e em meio a suspeitas e até caras feias, afirma que nunca foi desrespeitada por nenhum funcionários. “Sempre trabalhei em meio a homens e nunca fui desrespeitada. Depois que me separei não senti diferença, continuo sendo respeitada. Claro que existe o preconceito, mas às vezes vejo mais mulheres com preconceito do que os próprios homens”.

Mesmo com uma vida inteira dedicada à fazenda, há 3 anos ela decidiu vender a propriedade e deixar a criação de gado. Mas o que poderia ser o fim, foi a abertura para um projeto que mudou não só a sua propriedade, mas toda a região.

“Entrei no projeto Campos do Araguaia, que tem mais de 50 propriedades. Eles fazem um projeto desde a parte ambiental até a gestão. Em um ano e meio, o projeto fez uma virada na fazenda. Consegui intensificar o uso das áreas abertas e recuperar áreas degradadas”. A mudança, que aumentou a área preservada na fazenda - de 2.052 hectares, são utilizados 820 -, recuperou as matas próximo às nascentes e aumentou a produtividade mesmo utilizando uma área menor.

“Foi uma virada na minha história, hoje a água dos meus animais, qualquer pessoa pode beber, porque fechei as nascentes com mata nativa. E ainda quero plantar mais de 100 mangueiras na propriedade”, conta a criadora, que ficou em 3º lugar no prêmio Mulheres do Agro 2019, na categoria grandes propriedades.

Para Téia, Mato Grosso é um dos estados em que mais mulheres se dedicam à vida no campo, porém, ainda não têm muita visibilidade. “Somos muitas mulheres em Mato Grosso no agro e estamos crescendo. No Congresso Nacional de Mulheres no Agro, acredito que do nosso estado eram maioria”.


Autor: AMZ Noticias com Assessoria


Comentários
O Norte Araguaia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Norte Araguaia e um meio de comunicacao de propriedade da AMZ Ltda.
Para reproduzir as materias e necessario apenas dar credito a Central AMZ de Noticias