Quinta-Feira, 06 de Agosto de 2020

Força-tarefa notifica 25 acampamentos irregulares às margens do Rio Araguaia




COMPARTILHE

Integrantes de uma força-tarefa do estado de Goiás, montada para fiscalizar as margens do Rio Araguaia notificou 25 acampamentos ao percorrer 240 quilômetros na região. O objetivo da ação é evitar aglomerações para inibir a propagação da Covid-19.

Neste primeiro momento, as pessoas que estavam acampadas foram apenas orientadas a desmontar as estruturas e sair do local. Já a partir de 1º de julho, o decreto estabelece que quem for flagrado acampando na região deve pagar uma multa que pode chegar a R$ 500 mil, dependendo do tamanho da estrutura.

Segundo o documento, quem for flagrado divulgando, participando e organizando festas e shows na região pode ser multado entre R$ 1 mil e R$ 100 mil. “Agora, não foi aplicado nenhum tipo de multa, apenas as orientações e pedindo a colaboração de todos. Está proibido qualquer tipo de evento, aglomeração ou acampamento aqui no Araguaia”, afirma Laís Santiago Cardoso, fiscal da secretaria do patrimônio da União.

Segundo a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), o movimento está menor comparado à última semana. Ainda assim, foram encontrados vários acampamentos. Em um deles, havia mais de 20 pessoas e maioria não utilizava máscara. O equipamento passou a ser de uso obrigatório para quem sair às ruas desde o dia 20 de abril, após um anúncio do governador Ronaldo Caiado (DEM).

“Alguns tinham uma estrutura já bem feita. Esses foram já notificados de acordo com o decreto. Os que estavam em situação precária já foram informados que devem desocupar a área”, explica o fiscal ambiental Rodrigo Brito.

Para o pedreiro Enedir Pereira, é um momento de tristeza ver o Araguaia vazio, sem os acampamentos, mas lembra que as pessoas devem colaborar devido à pandemia. “É difícil. Uma coisa que a gente nunca esperou na vida e nunca viu acontecer isso aí. A gente fica triste, mas tem que colaborar”, conta o pedreiro.

O engenheiro Alexandre da Cunha também foi orientado pelos fiscais. “A gente vem há muitos anos. Mas vai passar com certeza. Agosto, setembro, a gente retorna. O importante é a gente estar seguro”, diz o engenheiro Alexandre da Cunha. Além da fiscalização às margens do Rio Araguaia, a entrada das principais cidades turísticas também estão sendo monitoradas.

“O Comando de Policiamento Militar está fazendo um trabalho de orientação e conscientização da população e até mesmo dos turistas para que no mês de julho não haja acampamento”, comenta o tenente da PM Hermogenes da Silva Filho. A temporada do Araguaia foi cancelada pelo governo devido à Covid-19, no dia último dia 10. De acordo com o decreto, também é proibido montar estruturas temporárias de bares, restaurantes, banheiros, caminhadas ecológicas e pontos de apoio de atendimento a turistas.


Autor: Redação AMZ Noticias


Comentários
O Norte Araguaia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Norte Araguaia e um meio de comunicacao de propriedade da AMZ Ltda.
Para reproduzir as materias e necessario apenas dar credito a Central AMZ de Noticias