Quinta-Feira, 06 de Agosto de 2020

Estudo da UFMT aponta que 650 pacientes vão precisar de UTI nos próximos 15 dias




COMPARTILHE

Um estudo de dados, e projeções de ocupações de leitos na saúde, feito por pesquisadores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), campus Cuiabá, e do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), apontou que no início de agosto, cerca de 650 pacientes de covid-19 irão precisar de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) , em Mato Grosso. O relatório prevê, que até o final de julho, o número de pacientes para UTIs será o dobro do número de leitos existentes no Estado.

Trata-se da previsão de um colapso no sistema público de saúde, com a impossibilidade de atender os casos graves do novo coronavírus. A distribuição desigual no número de leitos de UTI também é responsável por essa situação. Embora todas as macrorregiões possuam leitos de UTI exclusivos para casos de covid-19, estes estão distribuídos em apenas nove dos 141 municípios do Estado. Segundo o estudo técnico desenvolvido, a Baixada Cuiabana, classificada com região Centro-Norte, terá uma demanda por mais de 250 leitos, em dois de agosto.

A pesquisa divide Mato Grosso em seis macro-regiões, sendo elas Centro Noroeste, Centro-Norte, Norte, Sul, Leste e Oeste. Até o dia 30 de junho, o Centro-Noroeste conta com 6 leitos, o Centro-Norte com 172, o Norte com 23 leitos, o Sul com 22 leitos, Leste são 8 e Oeste 5 leitos, os quais estão todos ocupados.

Desde então, a Secretaria Estadual de Saúde (SES)  trabalha para até o final deste mês implantar mais 150 leitos em Mato Grosso. A Prefeitura de Cuiabá já instalou mais 20 vagas na cidade. Entretanto, de acordo com as projeções, mesmo que as promessas sejam cumpridas, ainda não será suficiente para a demanda.   

A nota técnica aponta que a flexibilização das medidas de distanciamento social contribui para a disseminação da doença, mantendo o número crescente de casos novos e óbitos. Diante disso, as consequências serão ainda mais devastadoras se os serviços de saúde não atenderem ao progressivo aumento da demanda caracterizada pelo crescimento do número de casos do novo coronavírus. O estudo se baseou em dados publicados pela SES, em geral de forma agregada, o que se caracteriza como limitação para cálculos mais precisos. 


Autor: Redação AMZ Noticias


Comentários
O Norte Araguaia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Norte Araguaia e um meio de comunicacao de propriedade da AMZ Ltda.
Para reproduzir as materias e necessario apenas dar credito a Central AMZ de Noticias