Quarta-Feira, 21 de Abril de 2021

Ministério Público Federal determina que Tocantins pague todos os recursos da Lei Aldir Blanc




COMPARTILHE

 O Procurador do Ministério Público Federal, Álvaro Manzano, decidiu, durante reunião realizada na tarde desta sexta-feira, 29, com o presidente da Agência do Desenvolvimento do Turismo, Cultura e Economia Criativa (Adetuc), Tom Lyra, que o governo do Tocantins deverá remanejar e utilizar os recursos da Lei Aldir Blanc que o Estado havia informado que estavam previstos para retornarem ao governo federal. Conforme Tom Lyra, o valor corresponde a R$ 3.773.946,31.

A decisão do Procurador da República ocorreu após solicitação de reunião com a Adetuc devido a denúncias que teriam sido realizadas ao MPF por uma parcela de artistas que não estariam satisfeitos com os resultados, conforme apurou a reportagem,

Artistas tocantinenses contemplados nos editais fizeram uma carta de manifesto ao MPF nesta sexta-feira, 29, com 76 assinaturas, solicitando o pagamento dos editais selecionados. A pasta suspendeu temporariamente o pagamento dos contemplados aguardando o posicionamento do MPF e, agora, terá que pagar os editais selecionados e destinar o valor restante, que deverá ser atribuído apenas à classe cultural.

A Adetuc havia afirmado na quarta-feira, 27, que o pagamento dos projetos dependiam “tão somente do posicionamento do MPF ao final da reunião”. No Tocantins, R$ 18.698.667,80 foram destinados às ações emergenciais voltadas ao setor cultural.

ENTENDA  - Os recursos cobrados com urgência por artistas estavam previstos para serem pagos a partir do dia 20 de janeiro, data em que o Sistema de Administração Financeira do Estado (Siafe) seria aberto. Entretanto, foi comunicado que até a manhã do dia 21, o Sistema de Administração Financeira da Sefaz não estava aberto. Fontes informaram que, na terça-feira, 26, os recursos começaram a ser pagos, contudo, a Adetuc divulgou nota na quarta-feira, 27, para comunicar a suspensão do pagamento.

Também havia sido divulgado pela pasta que, no Tocantins, do total de R$ 18.698.667,80 destinados às ações emergenciais para o setor cultural, haviam sido executados R$ 17.489.858,99, o que corresponde a 94% do total. O restante dos recursos, em torno de R$ 1.208.808,81, tinha previsão de retorno ao governo federal. Entretanto, o presidente disse durante a reunião com o MPF hoje, que o valor é de R$ 3.773.946,31.

A carta com assinaturas de artistas tocantinenses defendia o pagamento dos recursos dos editais já concluídos. "os recursos devem ser liberados normalmente, visando contribuir para amenizar a situação crítica que a pandemia gerou na vida econômica e social dos diversos agentes culturais envolvidos nos projetos. O início dos trabalhos, após a conclusão dos pagamentos o mais rápido possível, é fundamental para auxiliar aqueles que mais precisam”.

A classe afirma que o setor cultural precisa ser movimentado com os projetos que foram selecionados para contribuir com a cadeia produtiva do Estado e que, necessita do pagamento dos recursos devido às dificuldades enfrentadas pela pandemia e o atraso dele “agrava e muito a situação econômica e social dos contemplados e dos inúmeros trabalhadores desses projetos”.


Autor: AMZ Noticias com T1


Comentários
O Norte Araguaia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Norte Araguaia e um meio de comunicacao de propriedade da AMZ Ltda.
Para reproduzir as materias e necessario apenas dar credito a Central AMZ de Noticias