Quarta-Feira, 14 de Abril de 2021

Cavalo avaliado em R$ 50 mil é sacrificado no Tocantins após ser diagnosticado com mormo




COMPARTILHE

Um cavalo de raça avaliado em R$ 50 mil e diagnosticado com mormo foi sacrificado neste sábado (30) em Nova Olinda, no norte do Tocantins, após a Justiça derrubar uma decisão liminar que impedia a eutanásia do animal.

O dono do cavalo tinha entrado com o processo após um teste em laboratório particular contratado por ele não constatar a presença da doença. O caso era analisado desde o começo do mês.

A decisão de derrubar a liminar e permitir o sacrifício do animal é do juiz Álvaro Nascimento Cunha, da 1ª Vara da Fazenda e Registros Públicos de Araguaína. Ele tomou a decisão após a Agência de Defesa Agropecuária do Tocantins (Adapec) apresentar quatro testes feitos através de dois métodos distintos, todos com resultado positivo para mormo.

A doença ainda não tem cura e pode contaminar humanos, por esse motivo é indicado o sacrifício de todos os animais que a contraem. A equipe da Adapec informou que utilizou o fármaco T-61 para a eutanásia. Segundo a agência, o medicamento induz a morte de forma rápida, sem dor e com mínimo de estresse.

 "Possibilitar viver esse animal por mais tempo é criar significativa ameaça a todos que estão ao seu redor, bem como a quaisquer outros animais do aras e da redondeza", escreveu o juiz na decisão. O cavalo tinha 13 anos e era da raça Manga Larga Marchador. Segundo a Adapec, o animal permaneceu isolado na fazenda enquanto os exames eram realizados.

Até novembro de 2020, o estado tinha registrado 11 focos da doença com 14 animais infectados. O mormo não tem cura ou tratamento e a única forma de controle é o sacrifício do animal contaminado. A doença é infectocontagiosa e causada por bactéria, que acomete principalmente os equídeos (asininos, equinos e muares), mas também pode ser transmitida para o ser humano.


Autor: Redação AMZ Noticias


Comentários
O Norte Araguaia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Norte Araguaia e um meio de comunicacao de propriedade da AMZ Ltda.
Para reproduzir as materias e necessario apenas dar credito a Central AMZ de Noticias