Quarta-Feira, 28 de Julho de 2021

Cuiabá registra crescimento de 63,8% de mortes pelo COVID19 com 120 óbitos até o dia 23/06




COMPARTILHE

O último Informe Epidemiológico sobre a Covid-19, publicado nesta quarta-feira (24) pela Prefeitura de Cuiabá, revela um crescimento de 63,8% nos casos de mortes causadas pela Covid-19 na Capital.

Também houve um crescimento de 745 casos, o que representa um aumento de 45%. Os dados levam em conta casos registrados até 20 de junho. De 14 a 20 de junho, foram 37 mortes de pacientes que moravam de Cuiabá, o que dá um aumento de 63,8%, na comparação com a semana anterior.

Até o fim da tarde de terça-feira (23), eram 120 mortes, resultando na média de 5,3 mortes/dia. Até 20 de junho, foram notificados 2.402 casos em Cuiabá. Na terça-feira, segundo a Secretaria de Estado de Saúde, o total era de 2.914. Dos 2.402 casos de residentes na Capital, foram regstrados 1.785 em monitoramento, 522 (21,7%) recuperados e 95 óbitos.

O Informe Epidemiológico sobre a Covi-19, publicado semanalmente pela Secretaria de Saúde de Cuiabá, com apoio de pesquisadores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), tem o objetivo de monitorar o padrão de morbidade e mortalidade e descrever as características clínicas e epidemiológicas dos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) pelo coronavírus em residentes no Município. No documento, são apresentadas informações desde a data da notificação do primeiro caso em Cuiabá até a 25ª Semana Epidemiológica, compreendendo o período de 14 de março a 20 de junho de 2020.

Segundo o documento, entre a semana 19 e 22, os números de casos foram dobrando a cada semana, o que não ocorreu nas últimas semanas. No último mês (24 de maio a 20 de junho), Cuiabá registrou 1.977 mil novos casos, representando um crescimento de 465,2%, enquanto no mês anterior (26 de abril a 23 de maio), o crescimento foi de 254,2%.

CASOS DE SRAG - Foram notificados em Cuiabá, até 20 de junho de 2020, 3.949 casos suspeitos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), 1.150 casos nesta última semana, apontando para o aumento de cerca de 41%. Todos os casos suspeitos foram investigados e, entre eles, 506 (12,8%) aguardam o resultado do exame para confirmação ou não de Covid-19. Entre aqueles que se conhecia o resultado (3.443), 481 (14,0%) foram descartados por tratar-se de outras SRAG e 2.962 (86,0%) resultou positivo para Covid-19, sendo 2.402 (81,1%) residentes em Cuiabá.

Cerca de 19% dos casos notificados de Covid-19 em Cuiabá eram de residentes em outros municípios/estados. Entre os 433 casos que estavam internados na capital no dia 20 de junho, metade (49,2%) ocupavam leitos de UTI (213).

Entre os internados em enfermaria/isolamento (220), 25,9% (57) eram residentes em outros municípios e entre aqueles que ocupavam leitos de UTI, 39,6% (63) não residiam na capital. A busca por atendimento hospitalar reflete neste aumento, tendo em vista que a capital detém o maior número de leitos gerais e leitos de UTI no estado.

Em Cuiabá, entre os hospitais sob gestão estadual (Hospital Santa Casa) e gestão municipal (Hospital e Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá, São Benedito, Hospital Universitário Jülio Muller), são ofertados 267 leitos de enfermaria e 130 leitos de UTI para pacientes de Covid-193. Em 20 de junho, a taxa de ocupação dos leitos de enfermaria era de 28,2% e a de UTI, 76,9%.

Segundo a Prefeitura, a taxa de ocupação de leitos considera casos descartados e/ou suspeitos e/ou confirmados, tendo em vista que, até o diagnóstico final são necessárias medidas de isolamento que requerem a ocupação de leitos destinados a pacientes com Covid-19.


Autor: Redação AMZ Noticias


Comentários
O Norte Araguaia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Norte Araguaia e um meio de comunicacao de propriedade da AMZ Ltda.
Para reproduzir as materias e necessario apenas dar credito a Central AMZ de Noticias