Sábado, 08 de Maio de 2021

Estado do Pará decide dar assistência para pacientes que apresentarem sequelas da Covid-19




COMPARTILHE

Nos próximos dias, o governo do Estado vai lançar, por meio da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), o programa Triagem Pós-Covid, que atenderá pacientes vindos de todo o Estado que tiveram a doença e hoje apresentam algum tipo de sequela como falta de paladar e olfato, ansiedade, rinite, insônia ou hipertensão arterial, por exemplo.

O atendimento será feito na Policlínica Metropolitana. Serão 100 consultas por dia e no total 2.000 atendimentos por mês. Na Poli, o paciente será encaminhado a um clínico geral e em seguida fará um check-up básico com exames de sangue e raio-x. Além disso, receberá orientações e encaminhamento para um especialista, se necessário. “São muitas pessoas que mesmo após a doença continuam procurando atendimento, pois ficaram com alguns sintomas residuais”, comenta Rômulo Rodovalho, titular da Sespa.

A diretora executiva da Policlínica Metropolitana, Lilian Gomes, explica que para o paciente ser atendido não será necessário ter o encaminhamento médico. Basta que o paciente entre em contato com a Policlínica através de uma Central de Atendimento. “O agendamento dos atendimentos será realizado exclusivamente através da nossa Central telefônica no número 4005-0510. Uma vez agendado o atendimento o paciente receberá a confirmação do dia e horário para realização dos exames e avaliações médicas (clínica e pediátrica). No dia marcado, basta o paciente comparecer a Policlínica 40 minutos antes da sua consulta com os documentos pessoais: RG, CPF, comprovante de residência com o CEP e Cartão Nacional do SUS”, explica. As consultas serão de segunda a sexta-feira, de 07h às 19h, na Policlínica, localizada na avenida Almirante Barroso, em Belém.

 Foto: Alex Ribeiro - Ag. ParáO programa também vai atender pacientes que já faziam acompanhamento médico para alguma doença e precisaram interrompê-lo devido à pandemia. A ideia inovadora pode, inclusive, servir de referência para outros Estados, e a intenção do Governo do Estado é expandir o projeto para as demais regiões.

Atendimentos – Aproximadamente 203 mil atendimentos foram realizados pelo Estado desde o início da pandemia. Para ampliar o acesso à assistência médica e alcançar a demanda que não era suprida pelos municípios nem pela rede particular, o Governo do Estado, por meio da Sespa, deu celeridade a entrega de três novos hospitais para a população: Hospital Regional Público dos Caetés Jorge Netto Costa, em Capanema; Hospital Regional do Tapajós, em Itaituba; e o Hospital Público Geral de Castelo dos Sonhos João Trevian Sobrinho, em Altamira.

Também abriu as portas do Hospital Regional Dr. Abelardo Santos e Policlínica Metropolitana ofertando atendimento precoce nos primeiros estágios da doença, estratégia que resultou na queda dos casos de Covid-19 no Pará. Somente as duas unidades realizaram mais de 82 mil atendimentos.

Outra medida que levou assistência a 89 municípios do interior do Pará foi a Policlínica Itinerante com mais de 111 mil atendimentos feitos a pacientes com sintomas leves e moderados de Covid-19. Consultas, testes rápidos e RT-PCR, exames e medicamentos chegaram aos locais de mais difícil acesso. Tudo isso culminou no cenário vivenciado hoje, com a redução do número de casos novos de coronavírus no Pará.

Visando a garantia da saúde para todas as regiões do Estado, o Governo também entregou cinco hospitais de campanha sendo eles em Belém, Santarém, Marabá, Altamira e Breves.

Compromisso com a saúde – Desde a notificação do primeiro caso da Covid-19 no Pará, em 18 de março de 2020, o governo estadual vem investindo na saúde e em infraestrutura para o combate a doença. Já foram investidos R$110.983.238,60 neste período. Para custear os hospitais de campanha foram investidos, de abril a setembro, R$164.438.360. Outros R$582.000.000 foram destinados para o custeio do pagamento de profissionais como médicos, enfermeiros, técnicos e serviços gerais, recolhimentos fiscais, pagamento de prestadores de serviços, compra de materiais descartáveis e medicamentos.

Para atendimentos mais urgentes em que foi necessário levar pacientes de um município para outro, o Estado investiu R$25.000.000,00 em transporte aéreo entre os meses de abril e setembro. As cidades de Belém, Altamira, Conceição do Araguaia e Cametá receberam R$73.733.828,85 para a aquisição de material químico, farmacêutico, hospitalar e odontológico, além de uniformes e EPI’s. A verba também foi usada para alimentação e pagamento de profissionais. 


Autor: AMZ Noticias com Caroliny Pinho


Comentários
O Norte Araguaia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Norte Araguaia e um meio de comunicacao de propriedade da AMZ Ltda.
Para reproduzir as materias e necessario apenas dar credito a Central AMZ de Noticias