Quinta-Feira, 06 de Maio de 2021

Adepará inspeciona 187 propriedades com plantações de soja em 17 municípios do sul do estado




COMPARTILHE

Equipes da Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará) realizam inspeções fitossanitárias em propriedades produtoras de soja com risco para Amaranthus palmeri. Até o momento, já foram visitadas 187 propriedades, em 17 municípios, das regiões sul e sudeste do Pará, e não foi detectada a presença dessa praga em nenhuma das propriedades.

A cada ano, as áreas de soja aumentam no Estado. Ao todo, são mais de 700 mil hectares de soja espalhados pelo Pará. E, o crescimento das áreas exige um aumento nas inspeções fitossanitárias. Este ano, o trabalho começou ainda em janeiro.

"Essa vigilância ativa nas propriedades envolve esforços intensivos para a comprovação da presença ou ausência da praga. Ela é realizada por meio de inspeções fitossanitárias regulares às propriedades produtoras de soja, durante o período da safra e safrinha", informou a gerente de Programas de Pragas de Importância Econômica, Maria Alice Thomaz.

O trabalho da Adepará contribui para a erradicação da praga e o aumento da produção. "As lavouras estão boas. Neste momento já estamos com colheita no sul do Pará. Temos a expectativa de, no ano que vem, crescer com uma porcentagem de cinco a dez por cento. O mercado está bom, o preço está bom. Aqui na região de Paragominas as lavouras estão muito boas", garantiu o produtor Vanderlei Ataídes.

Inspeções - As equipes da Adepará seguem com a inspeção fitossanitária nos municípios de Cumaru do Norte, Água Azul do Norte, Floresta do Araguaia, Xinguara, Redenção, Rio Maria, São Félix do Xingu, Santana do Araguaia, Santa Maria das Barreiras, Tucumã, Curionópolis, Brejo Grande do Araguaia, São Geraldo do Araguaia, Novo Progresso, Altamira e Trairão.

Popularmente conhecida como caruru, a Amaranthus palmeri é uma planta exótica, originária de regiões áridas dos Estados Unidos e do México. É extremamente agressiva, com a capacidade de se adaptar facilmente a diferentes ambientes e condições climáticas, com alto potencial de reduzir a produtividade nas áreas de produção de grãos. Apresenta também uma alta resistência a herbicidas de diferentes mecanismos de ação.

Notificação - Em caso de suspeita da presença da praga, é necessário que o produtor notifique imediatamente a Adepará, para que seja realizada a identificação e confirmação da suspeita. É preciso também atentar à presença de plantas com características semelhantes ao Amaranthus palmeri. A Adepará recomenda que o produtor frequentemente monitore as lavouras, para identificação precoce da praga, e rápida viabilidade das medidas de contenção e controle, evitando, assim, a disseminação da praga.

SERVIÇO - A Agência de Defesa Agropecuária está presente nos 144 municípios paraenses. No site da Agência - www.adepara.pa.gov.br - há os endereços e contatos dos escritórios em todos os municípios. Os telefones para contato são: (91) 3210-1101, 1105 e 1121. Caso a preferência seja por celular o contato é o 99392-4264. No site da Adepará há os endereços dos escritórios de todos os municípios.


Autor: AMZ Noticias com Assessoria


Comentários
O Norte Araguaia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Norte Araguaia e um meio de comunicacao de propriedade da AMZ Ltda.
Para reproduzir as materias e necessario apenas dar credito a Central AMZ de Noticias