Sexta-Feira, 18 de Junho de 2021

Pará é o 3º estado brasileiro que mais gerou empregos em 2020 com mais de 30 mil novas vagas




COMPARTILHE

Pelo décimo terceiro mês consecutivo, o Pará apresentou saldo positivo na criação de empregos formais. De acordo com Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese/PA), o Pará foi o terceiro estado da Federação Brasileira que mais gerou empregos formais em todo o território nacional em 2020, com aproximadamente 33 mil postos de trabalho. É um dos melhores desempenhos desde o início da pandemia do novo coronavírus.

De acordo com o estudo do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) com base do Ministério da Economia, segundo o novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), em janeiro de 2021, o Pará gerou mais de 2 mil postos de trabalho, com ênfase nos setores do Comércio e da Indústria.

Vittória Rique, de 21 anos, é uma das pessoas inseridas no saldo positivo alcançado pelo Pará na geração de empregos formais. A jovem foi contratada por uma concessionária na função de consultora de vendas. “A gente sabe que, apesar desse contexto de pandemia, as contas não param, as nossas necessidades continuam e a gente precisa ter suporte financeiro para isso. Tem sido uma experiência nova. Estou aprendendo muito, e ter conquistado essa vaga, justo nesse momento, fez toda a diferença”, relata a Vitória. O estudo apresenta o balanço na geração de empregos entres os meses de janeiro e dezembro e aponta o estado em  primeiro lugar no ranking entre os estados da região Norte, no comparativo entre admitidos e desligados.

De acordo com o titular da Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster) Inocêncio Gasparim, a evolução dos últimos meses pesquisados pelo órgão nacional reforça a retomada da economia paranaense, mesmo diante da pandemia. “O estado do Pará tem se adiantado com proposições e projetos econômicos, sobretudo aos mais vulneráveis, aos trabalhadores essenciais. Porém, sabemos que todos os setores têm sentido e cabe a nós impulsionar este processo de retomada. O novo pacote econômico apresentado pelo Governo (R$ 500 milhões para reduzir os impactos da pandemia em vários setores) nos dá condições de pensarmos em situações melhores daqui pra frente. O momento é de responsabilidade, de cautela e de cuidado”, ressalta o secretário.

Everson Costa, técnico do Dieese, reforça que o bom desempenho da economia é fruto também das medidas adotadas pelo governo do Estado no processo de retomada econômica. “Nós iniciamos o ano de 2021 enfrentando inúmeras dificuldades, novas variantes da pandemia e o contexto econômico complicado. O Pará abre as informações do mundo do trabalho com 2.139 postos gerados. Esse saldo é o maior registrado entre os estados da região Norte. Em uma análise um pouco maior, o Pará gerou mais de 32 mil postos, o que coloca o nosso Estado em uma situação crescente e positiva. Com a permanência do plano de vacinação, junto ao pacote econômico apresentado pelo governo, certamente teremos um efeito positivo ao longo do primeiro semestre”, avalia.

SETORES – Os setores que mais se destacaram em janeiro de 2021 no Pará foram do comércio, com 1.789 empregos criados, indústria em geral (363) e agropecuária (351). “Os bons resultados alcançados pelo Estado nos últimos meses nos faz enxergar o novo ano com otimismo, principalmente ao saber que a vacina já é uma realidade. À medida em que a gente vai vacinando a população, conseguimos trazer a normalidade de volta e expandir o plano de retomada econômica. Certamente, teremos a continuidade de obras públicas, de investimentos e outros fatores positivos que contribuem diretamente na manutenção desse ritmo de crescimento", afirma Everson.

ACUMULADO – No acumulado do mês de janeiro, o saldo do Pará é positivo. Enquanto foram contratados 25.208 trabalhadores, outros 23.063 foram dispensados, representando um resultado positivo de 2.139 vagas. Sendo assim, é o estado que mais garantiu postos de trabalho no Norte do País no período inicial de 2021 – Amazonas  (2.056) e Tocantins (1.391).O titular da Seaster ainda reforça que para o ano de 2021, está previsto um investimento de R$30 milhões voltados à qualificação social e profissional.


Autor: Redação AMZ Noticias


Comentários
O Norte Araguaia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Norte Araguaia e um meio de comunicacao de propriedade da AMZ Ltda.
Para reproduzir as materias e necessario apenas dar credito a Central AMZ de Noticias