Sábado, 04 de Dezembro de 2021

Taxa de homicídios de crianças e adolescentes em Mato Grosso cai quase 10% em dez anos




COMPARTILHE

A taxa de homicídios de crianças e adolescentes entre 10 e 19 anos caiu 9,7%, em Mato Grosso entre 2009 e 2019. Durante esse período foram registradas 1.546 mortes de crianças e adolescentes no estado.

O maior registro de homicídios foi em 2013, com 181 mortes enquanto que a menor taxa foi em 2018, com 103 mortes. Os dados são da pesquisa Homicídios na Infância e Adolescência no Brasil, levantados pela ONG Visão Mundial.

Mato Grosso faz parte dos 15 estados que registraram queda. Outras 12 unidades federativas tiveram aumento. De acordo com o especialista em gestão de Políticas Públicas e coordenador ONG, Reginaldo Silva, essa diminuição se deu pela queda de violência letal em todo o país.

“A taxa de homicídios de adolescentes acompanhou uma tendência nacional de redução da violência letal. Alguns fatores podem ser levados em conta, como: coordenação e gerenciamento das forças policiais e melhorias nas capacidades investigativas do nível federal para o nível estadual. Inovações realizadas pelas policias estaduais e novos programas de segurança pública", contou.

Além disso, a região Centro-Oeste teve uma queda de 15,5% na taxa de homicídios, maior do que a média nacional, de 9,7%. Foi a região que registrou o menor número de homicídios em dez anos, com 9.088 mortes se comparado com os outros estados.

De acordo com o estudo, de 107.670 crianças e adolescentes mortos no Brasil durante dez anos, 76% eram negros e 93% eram meninos. O número de jovens negros mortos vem crescendo, já que em 2009 era de 71% e em 2019 esse número aumentou para 81%.

Consequentemente, o número de jovens brancos mortos vem diminuindo, sendo 23% em 2009 e 17% em 2019. De acordo com o especialista, existe uma facilidade para meninos integrarem grupos criminosos e se envolverem em atos violentos.

"No mundo inteiro a violência é predominantemente cometida por homens, que também são as maiores vítimas. No geral, existe uma facilidade para meninos se integrarem em grupos criminosos e dessa forma se envolverem em atos violentos. Também podemos discutir sobre os papéis de homens e mulheres na sociedade, quando se determina que o garoto, mesmo que ainda criança, terá um papel de exercer a violência quando se sentir ameaçado. É importante destacar também que estão falando de um perfil de meninos, negros e moradores da periferia em sua maioria", disse.


Autor: Carol Mesquita com G1


Comentários
O Norte Araguaia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Norte Araguaia e um meio de comunicacao de propriedade da AMZ Ltda.
Para reproduzir as materias e necessario apenas dar credito a Central AMZ de Noticias